A responsabilidade do monitoramento

porFlavio Pinto

A responsabilidade do monitoramento

Uso ferramentas de monitoração a mais de dez anos, nos últimos cinco anos de forma dedicada e nos últimos dois nunca ouvi tanto essa palavra: Monitoração.


Infelizmente a monitoração é a vilã quando implantada para caçar bruxas ou por alguma obrigatoriedade legal (auditorias, por exemplo). E quando há a oportunidade de saírmos da caixinha (monitoramento na área de TI) e vamos monitorar coisas que são de extrema necessidade como um nível de represa, uma temperatura de uma caldeira ou até mesmo a velocidade de uma esteira de uma linha de produção? Eu poderia citar até filmes para isso como A falha de San Andreas e o O dia depois de amanhã, onde as boias estavam sendo reesfriadas rapidamente, informando os climatologistas de plantão.


Mas como a maioria das pessoas falam, isso é ficção, não é? Pois bem, essa semana tivemos as respostas de que isso é de extrema necessidade. Catástrofes naturais como as que aconteceram nos últimos anos poderiam ser evitadas se, no mínimo, algum tipo de alerta fosse disparado. Os responsáveis poderiam alegar que ferramentas dessas são caras, não é? Estou aqui para dizer que o custo disso é irrelevante para as consequencias que esses tipos de de desastres geram. E para despertar curiosidade, há muitas delas gratuitas!


Quantas fábricas precisam disso? Quantas barragens tempos por aí? Quantos ambientes precisam de algum tipo de monitoração e que hoje são negligenciados dessa forma?Aquela famosa frase que ouvimos, escrevemos e as vezes até gritamos, eu avisei, poderiam ser menos ouvidas se ferramentas de monitoração fossem mais utilizadas.


Meu objetivo com esse artigo não é politizar, viralizar e nem me aproveitar do que está na mídia, mas sim, como um experiente profissional da área informar a todos que ainda dá tempo de corrigirmos problemas, catástrofes e falhas muito antes do que se imagina.

Sobre o Autor

Flavio Pinto author

Especialista Zabbix, entusiasta de open source, apaixonado por tecnologia com 22 anos na área de TI.

Deixe uma resposta